07 de novembro de 2011

O Novo Sexy – LabK Tendências

Postado em Sem categoria por admin

Uma das várias funções sociais da roupa é cobrir, esconder o corpo por pudor. Por motivos históricos que envolvem convenções culturais e dogmas religiosos, se vestir sempre foi uma regra social básica. E, talvez como uma subversão natural a essa regra, a Moda sempre flertou com o sexo, fazendo da roupa um atrativo para o momento em que, geralmente, as pessoas ficam sem roupa: surgiu o sexy, o sensual, a alusão à sexualidade através dos panos.

Antes dos anos 60, qualquer mulher que pudesse ser considerada “sensual” era mal vista pela sociedade. Com a invenção da pílula anticoncepcional, as mulheres começaram a ter poder de atrair sem culpa e duas coisas apareceram na história da Moda: a minissaia e a discussão sobre “sensual X vulgar”.

Nenhuma das duas acabaram, mas enquanto a minissaia ganhou modelos, formas, cores e tecidos diferentes, a discussão sobre “sensual X vulgar” continua a mesma. E é justamente com tecidos, formas e cores que os estilistas atuais propõem um novo sexy.

Giambatista Valli e Kenzo: Fendas

Nos desfiles da última temporada internacional de verão, rendas e transparências marcaram presença na tentativa de apresentar uma sensualidade subliminar. Nada é explícito como muito já se viu, mas a roupa trabalha o corpo da modelo num jogo muito interessante de revelar-e-esconder, que coloca o mistério e a insinuação como o grande atrativo sexual.

Chanel e Louis Vuitton: Sobreposição de transparências e uma releitura da renda

Nos não tão distantes anos 90, todo apelo sexy se concentrava no umbigo: calças de cintura baixa e tops bem curtos deixavam a barriga de fora. Atualmente, o conceito é completamente diferente: o jogo de esconder-e-revelar das roupas vai das extremidades do corpo em direção ao centro, e não o oposto. Como o umbigo é o centro do corpo, é notável que, por mais que transparências e decotes mostrem muita pele, a barriga está sempre coberta nas propostas de sensualidade atuais. É interessante perceber que, em alguns casos, até os seios ficam à mostra, mas o umbigo está sempre escondido.

Louis Vuitton, John Galliano e Jean Paul Gaultier: Pernas de fora, transparências pelo corpo todo e até seios à mostra – mas o umbigo nunca aparece.

Chanel e John Galliano: decote generoso atenuado pelo blazer sóbrio de lã e transparência fluida, plissada e estampada

Muito menos explícito, o sexy atual usa decotes, fendas e transparências de uma forma nova e mais sutil. E a Moda caminha para uma sensualidade sofisticada, que traz o mistério como tendência e a mulher como um ser belo que precisa ser visualmente redescoberto.

 

Comentar via Facebook

comentários

2012, chanel, fashion week, gaultier, John Galliano
array(4) { [0]=> string(68) "http://lab.kalimo.com.br/wp-content/uploads/2011/11/kalimo-sexy2.jpg" [1]=> string(69) "http://lab.kalimo.com.br/wp-content/uploads/2011/11/kalimo-sexy11.jpg" [2]=> string(83) "http://lab.kalimo.com.br/wp-content/uploads/2011/11/kalimo-sexy3-e1320683254187.jpg" [3]=> string(68) "http://lab.kalimo.com.br/wp-content/uploads/2011/11/kalimo-sexy4.jpg" }